Conheça mais em: www.refugioliterario.com.br 

Resenha do livro Contos Fantásticos do Folclore Brasileiro

Sempre acreditei que deveríamos ter mais livros nacionais valorizando nossa cultura e de todo nosso passado. Quem que já não ouviu uma lenda? Quem já não ouviu seu avô, bisavô contar algum causo com um dos seres mágicos mais conhecodos: Saci, Cuca, Curupira ou outro qualquer outro? Júnior Salvador nos agracia com essas e outras histohist, que tanto povoam a mente dos brasileiros.
Um Saci que precisa obedecer a Pisadeira, O Boto que se apaixona pela Iara, a Cuca que vem levar a menina que não quer dormir, são alguns fatos e narrativas que o autor traz na coletânea “Contos Fantásticos do Folclore Brasileiro”. Ao todo são 6 contos, narrados em terceira pessoa, que resgatam nossa cultura e seres que ainda causam mexem com a imaginação dos brasileiros.
Sabemos como essas histórias mudam de região para região, e como elas ainda conseguem despertar a curiosidade de muitos, mesmo que já tenham sido repetidas inúmeras vezes.  O autor, trabalha isso de maneira específica, no espaço que ele mostra o pior e melhor lado desses seres, que por muitos são vistos como vilões e por outros como protetores de nossa natureza.
Júnior Salvador traz histórias inéditas em que esses seres mágicos vivem aventuras e momentos de tensão jamais retratados.  Destaque para “O Som da Floresta” que traz uma intensa batalha entre os dois protetores da mata: O Curupira e o Caipora, que são trazidos e desenvolvidos de uma maneira diferente da que estamos acostumados.
Contos Fantásticos é aquele tipo de livro que se deve ler um conto de cada vez, com calma e sem medo de terminar. Apreciar cada personagem criado e como cada historia se desenrola é o ponto chave para viajar nessa nossa cultura milenar e reviver quando nossos antepassados se reuniam para contar esses “causos” como se fossem sua própria realidade.
Publicado de forma independente, Contos Fantásticos do Folclore Brasileiro tem a revisão perfeita e uma diagramação singela, nas suas poucas 154 páginas. A capa retrata o primeiro conto que mostra o encontro do Saci e da Mula Sem Cabeça.

Conheça mais em: https://bit.ly/2Rwc5fK 

Resenha do livro Curupira – A Árvore da Vida

É uma nova versão de um dos contos folclóricos mais conhecidos do nosso país…
A história que vai trazer um novo olhar sobre o conto do tão conhecido Curupira .
Terá um ótimo realce da cultura

Misturado com a mente criativa do autor e uma bela mudança da forma como contamos nossas histórias. Teremos personagens como tupã , iara , caipora, boi tata , entre outros seres folclóricos que conhecemos no nosso país ..Mas não da forma como vemos em historinhas pra crianças ! Não nessa história faz entender como curupira virou curupira , vamos ver Iara, mas não como sereia e sim como guerreira, Vamos ver boi tata não como o protetor mas como SPOILER …Essa história é total contrário dos contos de criança ,ela traz uma escrita madura sobre os mitos

Com uma pegada de aventura E ação … Vc vai ter luta,formação de caráter, um pouco de informação e vai ter uma visão bem diferente dos contos brasileiros do folclore Brasileiro que geralmente são bem infantis (Confesso que a princípio pensei que o livro seria infantil como todos que tratam do tema ,Mas nas primeiras páginas ao desenvolver da narrativa vi que não era bem assim ) Não é um livro muito grande é bem curto com cento e poucas páginas, mas com uma narrativa bem fluida e uma história muito bem construída em relação a um tema, que geralmente não é bem um tema que a maioria espera encontrar em livros mais maduros,
O tema foi bem trabalhado, apesar de saber que não é bem o tema que muitos vão gostar,
Mas é um livro que sim recomendo , Me surpreendi com o final e com o fato de o livro ser totalmente o contrário do que eu esperava .
Em quanto eu esperava um livro infantil com um tema meio borococho , encontrei um livro muito maduro bem escrito bem desenvolvido e que pegou um tema meio “infantilizado” e transformou em algo que da vontade de ler e chegar ao final …Por isso meus parabéns ao autor @juniorsalvador85 por fazer essa maravilha de livro que da pra ler rápido e que da aproveitar uma boa história de aventura .

Conheça mais em https://corredoraliteraria.wordpress.com/ 

Resenha do livro: Contos Fantásticos do Folclore Brasileiro

Este livro contém seis contos (contos são histórias curtas que possuem início, meio e fim, para quem ainda não conhece) que vão falar sobre costumes e tradições brasileiras de maneira atraente a leitores de todas as faixas etárias, além de te fazer nostálgico, caso você não seja tão novo assim rs.

REDEMOINHO DE FOGO

Este conto vai falar sobre o Saci e a Mula sem cabeça de uma maneira única, o autor conseguiu humanizar tanto os personagens que fiquei com muita pena deles, sempre tive a visão de seres travessos e odiosos, mas após essa leitura mudei completamente minha visão, o famoso: O Outro Lado da História.

CHUVISCO

Neste conto o autor fala sobre a Cuca e a Mãe dàgua, pela primeira vez na vida fiquei com medo da Cuca, pois essa não é aquela do Sítio do Pica Pau Amarelo, não… longe disso… ela é bem pior, além do autor envolver uma história familiar “comum” ele inseriu um animal de estimação… bom aí já pensou na minha angústia durante a leitura né?!

O SOM DA FLORESTA

Neste conto o autor insere o Curupira e O Caipora, prestou atenção no O? Sim! Aqui Caipora é do gênero masculino, o autor veio desbancar nossa infância assistindo o Castelo-Rá-Tim-Bum (se você é da mesma época…bom acho que estou entregando minha idade rs), nunca na minha vida nem em época de escola, há mais de vinte anos atrás pensei em uma Caipora homem?!?!? E um ser maligno, sem escrúpulos que só pensa em si mesmo. Pronto! Detonou minha infância com aquela Caipora vermelha da TV! Rs.

Durante a leitura deste conto senti dor e agonia, aqui entendemos o porquê dos pés invertidos do Curupira segundo a visão do autor e de verdade nunca imaginei que fosse como ele criou, me surpreendeu demais!

O MAR EM UMA NOITE DE LUA CHEIA

Aqui me aproximei da Iara e do Boto, uma história triste e perturbadora, entendi o porquê da mesma sair seduzindo a todos os homens e tornar-se o que ela é. O autor construiu nesse conto um relacionamentos improvável.  Há também uma grande referência a literatura clássica estrangeira, achei o máximo!

O CAÇADOR

Aqui temos a história da Vitória Régia, como ela se tornou o que é e o porquê. Este conto faz referência ao anterior, pois aqui temos a história de dois irmãos de Iara, o Rudá e o Jurupari, ambos representantes do sol na terra e que conseguem invadir a mente das pessoas. este conto se conecta numa ordem cronológica com o anterior.

INÁCIO TAGARELA

Aqui a pressão psicológica é maior e também conta com uma história familiar diferente da primeira obviamente e um animal de estimação. Neste conto temos a presença do bicho papão em sua pior versão (se é que isso é possível), mas aqui ele tornou-se um ser vivo e não apenas algo em que as pessoas falam… Há ditos populares, cantigas de roda, trava-línguas, adivinhas e claro uma grande lição a ser tomada.

VISÃO GERAL

Tem muitas coisas aqui nesses contos que me marcaram e com certeza me farão lembrar desse autor para sempre e O Caipora é um deles!

Se você quer iniciar na literatura nacional ou nas leituras de contos, pode e deve começar por este livro! Foi um mergulho rápido (uma sentada só, eu li do início ao fim) sem perder a intensidade e qualidade. Falando em qualidade tenho que deixar minha observação quanto a revisão e diagramação da obra que estão impecáveis!

São poucos os contistas que possuem habilidade em cativar o leitor em pouco tempo, desenvolver sua trama sem se perder ou tornar-se enfadonho, e o autor Junior Salvador possui essa destreza sem dúvida alguma! Ele conseguiu me emocionar, ter empatia com os personagens e os tornou reais para mim mesmo que só enquanto eu virava as páginas no meu app.

O autor “humanizou” nossos “monstros” folclóricos, eles (monstros) se tornaram vítimas de si mesmos e cativam o leitor, ele (autor) inovou nas histórias já tão conhecidas do nosso povo, os fez autênticos, colocou sua marca, me encantei com a escrita dele, me envolvi profundamente nessas páginas e minhas expectativas foram superadas!

 

Conheça mais em http://resenhasdelivros.com/

 

Resenha do Livro “Contos Fantásticos do Folclore Brasileiro”

Hey, pessoas! Tudo bem?

Agora temos a resenha de um livro que me deixou em êxtase apenas ao saber de sua existência, assim que o autor me contatou. Uma história que retrata pequenas partes da vida dos seres folclóricos brasileiros é surpreendente nos dias de hoje, principalmente porque as pessoas interessam-se mais pela mitologia de outros lugares do que a do próprio país, esquecendo-se do quanto os seres fictícios daqui são tão incríveis quanto os internacionais.

“Contos fantásticos do folclore brasileiro” trás a história de Saci Pererê, Cuca, Caipora, Curupira, Cumade Fulozinha, Iara, Jurupari, Rudá, Bicho papão e Mula sem cabeça. Seres que podemos conhecer por apenas ouvir o nome, mas não sabemos exatamente a personalidade e vida de cada um deles. É nisso que o livro ajuda, exibindo um pouquinho dessas figuras tão fortes que foram, e estão sendo, cada vez mais esquecidas conforme o tempo passa. Obviamente existe a ficção criada pelo próprio autor por trás de tudo, mas não deixa de ser menos “real”.

Cada conto fala sobre um personagem e não é necessário tanto tempo para reparar que o enredo de todos eles acaba entrelaçando-se em algum momento, mesmo que as histórias não estejam na ordem cronológica exata e pareçam, no começo, não terem pontes entre si.

A capa do livro é muito bonita, mostrando a Mula sem cabeça, personagem que aparece logo no primeiro capítulo de uma forma humana muito interessante. O livro, em geral, é muito bom, principalmente para trazer um pouco mais a raízes fictícias contidas na história do Brasil. A narração do livro todo é em 3ª pessoa e isso me ajudou muito, porque conhecia bem pouco do folclore e esse tipo de escrita fez com que eu entendesse tudo o que estava sendo retratado, sem me perder no meio. Algo que eu achei fantástico.

Indico esse livro para pessoas que gostam e/ou querem conhecer mais dos mitos existentes aqui antes mesmo de termos nascido. Se eu precisasse resumir o livro em poucas palavras, diria que ele é maravilhosamente interessante e faz com que o leitor fique preso dentro da trama. Por todos os motivos anteriormente citados, a nota do livro é 5/5, com certeza!

Conheça mais em http://www.lerresenharepostar.blogspot.com/

 

Resenha do livro Contos Fantásticos do Folclore Brasileiro

 
Eu descreveria essa obra como uma narrativa envolvente e inovadora de nosso folclore, com elementos muito bem aproveitados e enredos autênticos.
Esse foi o primeiro livro que li cem por cento sobre o folclore brasileiro e confesso que me surpreendeu bastante. As expectativas que criei antes da leitura foram superadas ao longo da mesma pelo desenvolvimento único do autor. Cada conto trás um – ou mais de um – ser mágico como protagonista em um enredo inusitado e acrônico, sendo alguns deles conectados pelos acontecimentos de seus desfechos.
Embora sejam seres míticos, cada um é descritos de forma palpável ao leitor, onde é impossível sermos alheios aos seus sentimentos que afloram ao exporem seu lado humano, que, além de tristezas, possuem desejos, sonhos, temores e ressentimentos revividos por eras.
A escrita é harmônica e imprevisível na maioria dos contos. Em boa parte deles foram me apresentados personagens que nunca ouvira a respeito, claro que deve ser pela minha ignorância da cultura – algo a me envergonhar, admito -, mas justamente por isso o livro me despertou imensa curiosidade em me aprofundar no assunto, algo que farei aos poucos para absorver bem as informações e repassar o conhecimento a diante.
Conhecendo ou não as lendas indígenas essa é uma leitura magnífica com uma ótima escrita e desenvoltura fantástica. A conexão de alguns contos deram um ar de que uma longa história viria a seguir e, se o autor estiver pensando nisso, ficarei ansiosa pela continuação. Quem sabe não somos surpreendidos…
Iara sorriu, doce como podia ser. O vento bateu em seus cabelos negros e ela fechou os olhos enquanto respondia, como se revivesse lembranças difíceis e outras inesquecíveis. A maresia era intensa naquela noite de inverno.
– Na verdade, eu amo o rio Solimões. Eu não nasci lá, mas posso dizer que devo minha vida a ele.