RETROSPECTIVA LITERÁRIA 2019

 

2019 foi um ano profícuo para a leitura. Consegui manter o ritmo de 15 páginas por dia (um pouco mais), o que resultou em 21 livros lidos no ano.

 

Eu indico a leitura de todos, sem exceção.

 

Mas, para não dizerem que ando isento demais, deixo meu top five, com os preferidos do ano.

 

AS 5 MELHORES LEITURAS DE 2019

1984, George Orwell (Índia britânica)

Sinopse:  Romance distópico clássico do autor britânico George Orwell. Terminado de escrever no ano de 1948 e publicado em 8 de Junho de 1949, retrata o cotidiano de um regime político totalitário de modelo comunista. No livro, Orwell mostra como uma sociedade oligárquica é capaz de reprimir qualquer um que se opuser a ela.

O romance tornou-se famoso por seu retrato da difusa fiscalização e controle de um regime coletivista-socialista na vida dos cidadãos, além da crescente invasão sobre os direitos do indivíduo. Desde sua publicação, muitos de seus termos e conceitos, como “Big Brother”, “duplipensar” e “Novilíngua” entraram no vernáculo popular. O termo “Orwelliano” surgiu para se referir a qualquer reminiscência do regime ficcional do livro. O romance é geralmente considerado como a magnum opus de Orwell.

De facto, 1984 é uma metáfora sobre o poder e atuação dos regimes comunistas, Orwell o escreveu animado de um sentido de urgência, para avisar os seus contemporâneos e às gerações futuras do perigo que corriam, e lutou desesperadamente contra a morte – sofria de tuberculose – para poder acabá-lo. Ele foi um dos primeiros simpatizantes ocidentais da esquerda que percebeu para onde o estalinismo caminhava e é aí que ele vai buscar a inspiração: percebe-se facilmente que o Grande Irmão não é senão Stalin e que o arqui-inimigo Goldstein não é senão Trotsky.

Explicando que seu objetivo básico com a obra era imaginar as consequências de um governo stalinista dominante na sociedade britânica, Orwell disse: “1984 foi baseado principalmente no comunismo, porque essa é a forma dominante de totalitarismo. Eu tentei principalmente imaginar o que o comunismo seria se estivesse firmemente enraizado nos países que falam Inglês, como seria se ele não fosse uma mera extensão do Ministério das Relações Exteriores da Rússia.”

 

On the Road, Jack Kerouac (EUA)

Sinopse: O início da geração beat.

Pouco antes da meia-noite de 4 de setembro de 1957, Jack Kerouac e Joyce Johnson, a jovem escritora com quem ele estava vivendo, saíram do apartamento dela no Upper West Side, em Nova York, para esperar, numa banca de jornais na esquina da rua 66 com a Broadway, pela edição do dia seguinte do The New York Times. Kerouac fora alertado por seu editor que o romance On the Road, que escrevera havia quase dez anos, mas só então era publicado, seria comentado pelo mais prestigiado jornal americano.

Sob a luz difusa de um poste, Jack e Joyce folhearam avidamente as páginas do Times até depararem com a crítica. Assinada por Gilbert Millstein, dizia: “On the Road é o segundo romance de Jack Kerouac, e sua publicação é um evento histórico, na medida em que o surgimento de uma genuína obra de arte concorre para desvendar o espírito de uma época. (…) É a mais belamente executada, a mais límpida, e se constitui na mais importante manifestação feita até agora pela geração que o próprio Kerouac, anos atrás, batizou de beat e da qual o principal avatar é ele mesmo”.

“Após ler a resenha”, Joyce Johnson relembra, “Jack foi dormir no anonimato pela última vez. Quando o telefone nos despertou na manhã seguinte, ele era famoso”. Estava deflagrado o mito de On the Road.

 

Musashi – O vento – O Céu – Eiji Yoshikawa (Japão)

Sinopse: Este romance épico baseado diretamente na história japonesa narra um período da vida do mais famoso samurai do Japão, que viveu presumivelmente entre 1584 e 1645. O início é antológico, com Musashi recuperando os sentidos em meio a pilhas de cadáveres do lado dos vencidos na famosa batalha de Sekigahara. Perambula a seguir em meio a um Japão em crise onde samurais condenados ao desemprego e à miséria por senhores feudais derrotados semeiam a vilania ditando a lei do mais forte. Musashi será mais um dentre estes inúmeros pequenos tiranos, derrotando impiedosamente quem encontra pela frente até que um monge armado apenas de sua malícia e alguns preceitos filosóficos zen-budistas consegue capturá-lo e pô-lo rudemente à prova.

 

 Terra dos Homens – Antoine de Saint-Exupéry (França)

Sinopse: “Saint-Exaupéry tornou-se piloto civil aos 21 anos. Aos 26 integrou a equipe que foi sobrevoar o Saara e os Andes levando o correio aéreo da Europa para a África e a América do Sul. (…) Como devia ser a emoção de voar em aparelhos tão pequenos, contando apenas com a hélice e sem nenhuma presurização? É dessa emoção a matéria deste livro”. – Armando Nogueira

 

O Grande Gatsby, F. Scott Fitzgerald (EUA)

Sinopse: Obra-prima de Scott Fitzgerald, O Grande Gatsby é o romance americano definitivo sobre os anos prósperos e loucos que sucederam a Primeira Guerra Mundial. O texto de Fitzgerald é original e grandioso ao narrar a história de amor de Jay Gatsby e Daisy. Ela, uma bela jovem de Lousville e ele, um oficial da marinha no início de carreira. Apesar da grande paixão, Daisy se casa com o insensível, mas extremamente rico, Tom Buchanan. Com o fim da guerra, Gatsby se dedica cegamente a enriquecer para reconquistar Daisy. Já milionário, ele compra uma mansão vizinha à de sua amada em Long Island, promove grandes festas e aguarda, certo de que ela vai aparecer. A história é contada por um espectador que não participa propriamente do que acontece – Nick Carraway. Nick aluga uma casinha modesta ao lado da mansão do Gatsby, observa e expõe os fatos sem compreender bem aquele mundo de extravagância, riqueza e tragédia iminente.

 

Abaixo seguem os outros livros lidos no ano

Som e a Fúria, William Faulkner (EUA)

Sinopse: O som e a fúria, de 1929, é considerada a obra mais importante do escritor norte-americano ganhador do prêmio Nobel de Literatura em 1949. O romance surgiu em um período de isolamento, depois que o autor teve seu terceiro romance recusado por diversas editoras. Abalado, William Faulkner investiu num estilo ousado, tecido por quatro vozes narrativas distintas e saltos inesperados no tempo. É dessa forma, permeada por tons bíblicos e ecos de tragédias gregas, que o escritor retrata a violenta decadência dos Compson, família aristocrática do sul dos Estados Unidos, que parece viver num desnorteante presente em estado bruto. Com tradução de Paulo Henriques Britto e uma análise crítica de Jean-Paul Sartre publicada em 1939, o clássico de Faulkner ganha nova e definitiva edição.

 Mensagem, Fernando Pessoa (Portugal)

Sinopse: Único título publicado em português por Fernando Pessoa em vida, Mensagem é sem dúvida um dos poemas mais importantes do século XX, ao lado de Waste Land, de T. S. Eliot, dos Cantos, de Ezra Pound e das Elegias, de Rilke, entre outros. Cada um dos 44 poemas escritos ao longo da vida podem ser lidos independentemente ou em conjunto. O conjunto, considerado um único poema, foi dividido pelo autor em três partes: ?Brasão?, ?Mar português? e “O Encoberto”, assim como é mostrado na parte final da introdução no esquema gráfico do poema. A edição ora apresentada amplia o horizonte do poema por seus aparatos. Além da apresentação cuidadosa de Caio Gagliardi, há o intertexto do poema camoniano, Os lusíadas, e um glossário com explicações dos personagens históricos, mitológicos, epígrafes e lendas, também a datação dos poemas. De modo que atende tanto ao estudante iniciante quanto ao professor mais cioso.

  Alice no País das Maravilhas, Lewis Caroll (EUA)

Sinopse: Acompanhe Alice em uma incrível aventura no País das Maravilhas! Veja Alice crescer e diminuir, conheça o Gato de Cheshire, encontre o Chapeleiro Maluco, acompanhe um julgamento da Rainha de Copas e muito mais. Abra o livro e veja o País das Maravilhas ganhar vida! Não recomendado para menores de 3 anos de idade.

 Deserto dos Tártaros, Dino Buzzati (Itália)

Sinopse: O deserto dos tártaros é a obra-prima de Dino Buzzati. Publicado originalmente em 1940, o livro marcou a consagração do autor entre os grandes nomes da literatura italiana e foi eleito pela crítica especializada um dos melhores livros do século XX. A obra narra a história do jovem tenente Giovanni Drogo, que recebe com alegria uma missão no forte Bastiani — para ele, a primeira etapa de uma carreira gloriosa. Embora não pretendesse ficar por muito tempo, o oficial de repente se dá conta de que os anos se passaram enquanto, quase sem perceber, ele e seus companheiros alimentavam a expectativa de uma invasão estrangeira que nunca acontece. A espera pelo inimigo transforma-se na espera por uma razão de viver, na renúncia da juventude e na mistura de fantasia e realidade.

 Histórias Extraordinárias, Edgar Allan Poe (Inglaterra)

Sinopse: O terror nos repele e nos atrai com a mesma força, por isso é tão fascinante. Em “Histórias extraordinárias”, fazemos uma viagem por alguns dos mais notórios contos de Edgar Allan Poe, originalmente publicados entre 1833 e 1845. As dezoito narrativas que compõem a obra nos aproximam do sobrenatural e do inesperado em ricas tramas temperadas com uma fina ironia. Para completar, a genialidade do autor é ainda mais valorizada pela impecável tradução de Clarice Lispector, escritora que dispensa apresentações.

  As Cidades Invisíveis, Italo Calvino (Cuba/Itália)

Sinopse: “Se meu livro As cidades invisíveis continua sendo para mim aquele em que penso haver dito mais coisas, será talvez porque tenha conseguido concentrar em um único símbolo todas as minhas reflexões, experiências e conjeturas.” Assim se refere o próprio Italo Calvino – um dos escritores mais importantes e instigantes da segunda metade do século XX – a este livro surpreendente, em que a cidade deixa de ser um conceito geográfico para se tornar o símbolo complexo e inesgotável da existência humana.

  Trópico de Câncer, Henry Miller (EUA)

Sinopse: Publicado orginalmente em 1934, em Paris, Trópico de Câncer foi imediatamente proibido em todos os países de língua inglesa. Tachado como pornográfico, assim como seu sucessor Trópico de Capricórnio, só foi liberado nos Estados Unidos e na Inglaterra nos anos 1960, aclamado como parte da revolução sexual. O livro foi celebrado pelos maiores intelectuais da época e se tornou um dos grandes clássicos da literatura americana. Samuel Beckett o saudou como “um evento monumental da história da escrita moderna”. E outros nomes como T. S. Eliot, Ezra Pound e Lawrence Durrell também notaram rapidamente o talento de Miller. O livro traz um relato autobiográfico e idiossincrático de Miller, que chega a Paris após abandonar nos EUA um casamento arruinado e uma carreira estagnada. Mesmo sem um centavo no bolso, Henry Miller é apresentado à boemia francesa e redescobre seu próprio talento em dias e noites de liberdade e alegria sem fim.

 Araruama – Ian Fraser (Brasil)

Sinopse: Em Araruama, o momento do nascimento é um ritual sagrado. Monâ, a mãe do tempo e de todas as coisas, costura a duração de vida dentro do corpo de cada criança. Ao som das palavras de Majé Ceci após o parto, cada destino é selado: Kaluanã, nascido para uma vida mais longa que os números podem dar conta; Obiru, o capanema que morrerá jovem, destinado a descascar mandioca sob o olhar de desgosto do pai; Apoema, a que vê além e sonha em voar.

Em O Livro das Sementes, o primeiro volume da série, o leitor é transportado para uma realidade dura e encantada, onde as palavras são magia, a fl oresta é o mundo e forças determinam o equilíbrio da Ibi, a terra. A harmonia se baseia nas regras dos deuses, onde morte e vida, caça e caçador convivem até que a luz se apague.

Mas este ciclo tão familiar pode estar com os dias contados, pois sobre a Ibi se espalha um sentimento novo e incômodo: uma “fome sem apetite”, uma paixão pelas pedras derretidas. É o anúncio de que tempos sombrios estão por vir, sob formas nunca vistas antes – e os destinos das crianças de Araruama estão tão entrelaçados como raízes retorcidas.

 Lugar Nenhum – Neil Gaiman (Inglaterra)

Sinopse: Publicado pela primeira vez em 1997, a partir do roteiro para uma série de TV, o sombrio e hipnótico Lugar Nenhum, primeiro romance de Neil Gaiman, anunciou a chegada de um grande nome da literatura contemporânea e se tornou um marco da fantasia urbana. Ao longo dos anos, diferentes versões foram publicadas nos Estados Unidos e na Inglaterra, e Neil Gaiman elaborou, a partir desse material, um texto que viesse a ser definitivo: esta edição preferida do autor.
Em Lugar Nenhum, Richard Mayhew é um homem simples de coração bom que tem a vida transformada quando ajuda uma jovem que encontra ferida numa calçada. De um dia para o outro, Richard se torna invisível na Londres que sempre conheceu: não tem mais trabalho, não tem mais noiva, não tem mais casa. Para recuperar sua vida, ele se embrenha em um mundo que nunca sonhou existir, uma cidade que se abre nos esgotos e nos túneis subterrâneos: a chamada Londres de Baixo, em que personagens únicos e cenários mirabolantes fazem a Londres de Cima parecer uma mera paisagem cinza.

Com muita ação, um bom humor peculiar e evocações sombrias de um mundo fantástico, Lugar Nenhum é leitura indispensável para os fãs de Neil Gaiman e um rico prazer para os que ainda não conhecem o autor.

 As crônicas de Nárnia – C. S. Lewis (Irlanda – Reino Unido)

Sinopse: Viagens ao fim do mundo, criaturas fantásticas e batalhas épicas entre o bem e o mal – o que mais um leitor poderia querer de um livro? O livro que tem tudo isso é ‘O leão, a feiticeira e o guarda-roupa’, escrito em 1949 por Clive Staples Lewis. MasLewis não parou por aí. Seis outros livros vieram depois e, juntos, ficaram conhecidos como ‘As crônicas de Nárnia’. Nos últimos cinqüenta anos, ‘As crônicas de Nárnia’ transcenderam o gênero da fantasia para se tornar parte do cânone da literaturaclássica. Cada um dos sete livros é uma obra-prima, atraindo o leitor para um mundo em que a magia encontra a realidade, e o resultado é um mundo ficcional que tem fascinado gerações. Esta edição apresenta todas as sete crônicas integralmente, num único volume. Os livros são apresentados de acordo com a ordem de preferência de Lewis, cada capítulo com uma ilustração do artista original, Pauline Baynes. Enganosamente simples e direta, ‘As crônicas de Nárnia’ continuam cativando os leitores com aventuras, personagens e fatos que falam a pessoas de todas as idades.

 Curupira – Graça Lima (Brasil)

Sinopse: O espetáculo já vai começar. Tudo é novo e enigma no teatro do premiado escritor e dramaturgo Roger Mello. Um assovio lá longe distrai o pensamento. Outro assovio… De novo e bem mais perto! Risos. Tem um engraçadinho na platéia — é o que o público pensa. Mas agora o assovio vem da coxia, e para lá também caminha o foco da atenção. Curupira, meu amigo, é assim: um assovio aqui, outro mais adiante e quando se vê… Não tem jeito. Não tem volta.

É assim o coisinha: meio-bicho, meio-gente, meio-assombração. Se é que podem haver três meios… Quando se vê, o teatro engoliu a gente e Curupira está mais vivo e esperto do que nunca. O espectador-leitor-ator que se cuide. O engraçadinho está escondido onde ninguém poderia imaginar. Alguém aí ouviu um assovio?

Ilustrações de Graça Lima.

 O cavaleiro Preso na armadura – Robert Fisher (EUA)

Sinopse: O cavaleiro que protagoniza esta fábula vive em busca do seu verdadeiro eu. mas não encontra as verdades que procura por estar sempre preso em sua armadura pronto para guerrear. A história funciona como uma orientação para adultos e jovens que acabam se distanciando dos amigos e da família. seja por estabelecerem outras prioridades. ou simplesmente por não saberem como demonstrar carinho.

 O escritor de fim de semana – Robert J. Raj (Inglaterra)

Sinopse: Um livro para quem deseja aprender a escrever romances de ficção, que ensina o passo-a-passo para a crianção de cenas, personagens, enredos, etc.

A elaboração de uma obra literária exige do escritor um certo preparo, que é indispensável qualquer que seja o gênero em que ele pretenda se expressar. Este livro mostra que é possível, para quem tenha vontade e alguma disciplina, tornar-se um escritor em período de tempo relativamente curto. Num diálogo simples com o leitor, o Autor apresenta as técnicas de criação de personagens, montagem de enredo, construção de cenas e todos os demais aspectos próprios da obra de ficção, num programa de 52 semanas, ao final do qual o leitor deverá ter concluído a escrita de um romance.

 Quando a lenda fanha vida – Junior Salvador e Wesnen Tellurian (Brasil)

Sinopse: O folclore é parte integrante da história e da cultura de um povo. Os mitos, lendas e costumes da Europa se espalharam por todo o mundo e hoje fazem parte do nosso imaginário coletivo. Chegou então o momento de darmos ao Folclore Brasileiro o mesmo tratamento.

Muito do que conhecemos sobre o nosso folclore é aquilo que aprendemos nas escolas. Mas se soubéssemos a verdade dessas histórias antigamente, criança alguma dormiria à noite e muitas delas poderiam ter sua infância destruída… Nem tudo é terror, nem tudo é fantasia. Aliás, você pode nunca ter visto, mas isto não significa que não seja real.

Com toda essa riqueza que temos, a antologia Quando a Lenda Ganha Vida reúne quinze autores nacionais que voltaram seus olhos para a tradição e a cultura do nosso povo.

 Extraordinário – R. J. Palácio (EUA)

Sinopse: August Pullman, o Auggie, nasceu com uma sindrome genetica cuja sequela e uma severa deformidade facial, que lhe impos diversas cirurgias e complicacoes medicas. Por isso, ele nunca havia frequentado uma escola de verdade… ate agora. Todo mundo sabe que e dificil ser um aluno novo, mais ainda quando se tem um rosto tao diferente. Prestes a comecar o quinto ano em um colegio particular de Nova York, Auggie tem uma missao nada facil pela frente: convencer os colegas de que, apesar da aparencia incomum, ele e um menino igual a todos os outros.

J. Palacio criou uma historia edificante, repleta de amor e esperanca, em que um grupo de pessoas luta para espalhar compaixao, aceitacao e gentileza. Narrado da perspectiva de Auggie e tambem de seus familiares e amigos, com momentos comoventes e outros descontraidos, Extraordinario consegue captar o impacto que um menino pode causar na vida e no comportamento de todos, familia, amigos e comunidade um impacto forte, comovente e, sem duvida nenhuma, extraordinariamente positivo, que vai tocar todo o tipo de leitor.

 O Brakki – A lágrima de Giius I – André Regal (Brasil)

Sinopse: Quando mais uma garota aparece dilacerada nos arredores da pequena Cistol, a guarda resolve finalmente intervir. Dessa vez, a vítima é filha de um conhecido médico local. Suspeita-se que um brakki, uma raça de monstro que atormenta os quatro reinos de Elenesta, seja o responsável pelos ataques. O pai da moça resolve oferecer uma generosa recompensa a quem capturar a criatura.
Symas, um ex-soldado devastado pelo tempo e por tudo que perdeu, não quer se envolver. Não é mais digno de portar sua espada, depois dos últimos fracassos que marcaram sua vida. Mas será um trapaceiro ladrão quem o convencerá a calçar as velhas botas e rastrear não só o brakki, mas também as pegadas do homem que um dia fora.

 ** 

Foram 4 livros brasileiros, 7 americanos (EUA), 5 britânicos (incluindo o reino unido e a Índia britânica), 1 de Portugal, 2 da Itália, 1 da França e 1 do Japão.

 

As sinopse foram retiradas do Skoob.

 

Ao longo de 2020, provavelmente, trarei resenhas de cada um deles.

 


CONHEÇA MEUS LIVROS

 

 

 

 

 

 

 

ADQUIRA O SEU AQUI

10 LIVROS ESSENCIAIS PARA UM ESCRITOR INICIANTE

A paixão pela escrita nasce nos corações dos leitores e vai crescendo dia a dia. Cada uma das histórias que lemos tende a alimentar o sonho e fazer dele cada vez maior. Quando ele toma conta de tudo e a decisão de tornar-se um(a) escritor(a) finalmente está tomada, uma dúvida paira  nas mentes de todos nós: COMO COMEÇAR?

 

Eu passei pelo mesmo processo. As mesmas dúvidas.

 

Não basta apenas vontade. É preciso transpiração.

 

Por isso, conhecer os escritores do passado e aprender com todos aqueles que já passaram pelo mesmo processo é tão importante.

 

Abaixo listarei 10 livros que têm sido de grande valia nessa jornada de escrita. Sem eles, provavelmente eu teria parado na primeira obra.

 

Dito isso, minha dica é: Deixe a mente aberta e aprenda!

10 LIVROS ESSENCIAIS PARA UM ESCRITOR INICIANTE

1. SOBRE A ESCRITA

Stephen King

 

Stephen King é um dos autores mais vendidos de todos os tempos. Você pode ter uma mente de artista e não pensar em ganhar dinheiro com suas obras, entretanto, é bom saber que, pelo número de vendas, está claro que King tem alguma coisa que os leitores gostam. Você pode deixar pra lá e procurar alguém mais clássico, ou pode absorver tudo que ele tem a oferecer e o conhecimento que divide nessa obra. Atenção especial aos capítulos II e III.

 

 

2. O HERÓI DE MIL FACES

Joseph Campbell

Você conhece a história do herói relutante que é chamado à aventura, passa por diversas adversidades, mas, no fim, alcança a vitória? Parece familiar? Pois bem, a jornada do herói, como resumida da frase anterior, é o objeto de estudo de Campbell. Para quem deseja escrever uma história, cada uma das dicas do professor é de extrema valia. Anotações de leitura são uma boa ideia, bem como separar os esquemas e fluxogramas elaborados pelo autor.

 

 

3. COMO FUNCIONA A FICÇÃO

James Wood

Uma análise profunda da escrita de ficção, com exemplos de grandes escritores da literatura mundial. A estrutura; pontos positivos e negativos; personagens. Nada escapa dos olhos atentos de Wood. A obra é considerada por muitos como uma das mais completas da área e pode ajudar a ter uma visão mais profissional do trabalho do escritor. Escrever é prazeroso, mas nem por isso precisa ser um ato realizado sem ordem ou cuidado. Como mostra o autor, os detalhes são sempre importantes.

 

 

4. OS SECREDOS DA FICÇÃO

Raimundo Carrero

Na mesma esteira de Wood, o pernambucano Raimundo Carrero vem demonstrar que a uma boa escrita depende de insistência, trabalho duro, atenção aos detalhes e elementos técnicos que não podem ser ignorados. Como a maioria dos livros desta lista, também há informações sobre criações de personagens e outros elementos da narrativa. Acima de tudo Carrero faz com que voltemos à realidade e vejamos o lado mais difícil da escrita: a reescrita.

 

 

5. A ARTE DE ESCREVER

Schopenhauer

Schopenhauer é um dos mais importantes filósofos alemães. Seu trabalho influenciou muitos que vieram depois dele, como Nietzsche. Por isso e, considerando que você saiba alguma coisa sobre o autor, é importante ter em mente que esta é uma obra mais profunda, o que pode ser um pouco desconfortável para quem está acostumado com livros mais simples. Schopenhauer, não se esqueça disso.

 

6. CARTAS A UM JOVEM ESCRITOR

Mario Vargas Llosa

Há entre os novos escritores contemporâneos uma máxima que tem crescido com o passar do tempo: a de que não é preciso ser um bom leitor para ser um bom escritor. Se você é adepto dessa corrente de pensamento, este não é o livro apropriado para que melhore a sua performance como escritor. Com a analise de clássicos e sempre pronto a apontar os exemplos do passado que podem alimentar o escritor do futuro, Llosa elabora um livro magistral, que ensina, afaga e cutuca ao mesmo tempo.

 

 

7. CONFISSÕES DE UM JOVEM ROMANCISTA

Umberto Eco

O escritor italiano traz nessa obra 4 ensaios que utilizou anteriormente em palestras sobre Literatura Moderna: 1.) Escrevendo da esquerda para a direita 2.) O autor, o texto e o intérprete 3.) Algumas observações sobre personagens fictícios 4.) Minhas listas. A escrita em prosa, como se o autor estivesse a conversar com o leitor, aproxima o estudante da arte de escrever do famoso escritor e torna a experiência incrível. Ao final, sentimos a alegria de ter aprendido com alguém que tinha muito mais a nos ensinar.

 

8. STORY

Robert Mckee

Story é um dos primeiros livros que irão te indicar. Mckee é um roteirista com trânsito em Hollywood, respeitado pelo seu trabalho e referência quando o assunto é a arte de contar histórias. O protagonista; o antagonista; os obstáculos; o ponto de virada; os diálogos e os monólogos; as pesquisas; as palavras que você usa; seus medos e crenças. Nada escapa. Story é uma obra completa e ideal para quem ainda não leu nada sobre o assunto.

 

9. O ESCRITOR DE FIM DE SEMANA

Robert J. Ray

Posso dizer duas coisas sobre a leitura de “O escritor de fim de semana”. A primeira é, não leia como eu. A segunda é, leia como eu, depois de ter jogado fora a primeira leitura. O livro é didático ao extremo e possui uma variedade de exercícios a serem realizados ao fim de cada capítulo. Na primeira leitura eu não os fiz, logo, o resultado da leitura foi tão bom quanto o meu empenho: ZERO. Na segunda vez fiz a leitura e os exercícios e, acreditem, o resultado é incrível. São coisas simples, mas que criarão as bases para o desenvolvimento de suas histórias.

 

10. A JORNADA DO ESCRITOR

Cristopher Vogler

A resenha de “A jornada do escritor” diz tudo o que você precisa saber sobre essa obra. “Em 1949, no clássico O herói de mil faces, o estudioso Joseph Campbell conceituou a chamada Jornada do Herói: uma estrutura presente nos mitos e replicada em todas as boas histórias já contadas e recontadas pela humanidade. Em “A Jornada do Escritor”, Christopher Vogler faz uma detalhada e esclarecedora análise desse conceito, tomando como base diversos filmes importantes. Resultado de anos de estudo sobre mitos e arquétipos, somados à experiência de Vogler na indústria cinematográfica norte-americana, esta edição, revisada pelo autor, é uma obra de referência fundamental não apenas para quem deseja escrever boas histórias – bebendo da fonte dos mais belos e fascinantes mitos já criados pela mente humana –, como para quem quer entendê-las melhor, relacionando-as à própria vida.”

 

 

E aí? Gostou das dicas? Cada uma dessas leituras contribuiu para a minha formação como escritor e, acredito, poderá contribuir também para a sua.

 

Escrever é um prazer, mas também é um trabalho árduo. Os textos não adquirem qualidade apenas ao surgir de um “brainstorm”. É preciso revisar, reescrever, excluir, voltar de volta ao início.


Já conhece os meus livros?

 

 

 

 

 

 

ADQUIRA AQUI – E-BOOKS E FÍSICOS

Quem são os vencedores do Prêmio Jabuti 2019?

No final do ano de 1959 Jorge Amado levava o primeiro Prêmio Jabuti  pelo romance “Gabriela, Cravo e Canela”.

 

Durante 60 anos de história, muitos foram os títulos laureados com a honraria considerada, por vários, a maior da literatura brasileira.

 

No dia 28 de Novembro de 2019 os vencedores foram anunciados no Auditório Ibirapuera.

 

Foram 7 os premiados no Eixo Literatura.

 

Abaixo, seguem as obras acompanhadas de sinopses. Boas dicas para acrescentar nas metas de leitura de 2020.

VENCEDORES DO PRÊMIO JABUTI 2019

Conto

 “Um beijo por mês” | Autor(a): Vilma Arêas | Editora(s): Luna Parque

Sinopse: De modo ágil, os textos de Vilma Arêas trabalham a violência social dos dias de hoje misturada à memória política dos anos de chumbo no Brasil, ao mesmo tempo em que são atravessados por uma inquietude que perturba as formas de descrever, lembrar e narrar.

 

Crônica

“Pós-F: para além do masculino e do feminino” | Autor(a): Fernanda Young | Editora(s): LeYa

Sinopse: Em sua primeira obra de não ficção, Fernanda Young se insere no acalorado debate sobre o que significa ser homem e ser mulher hoje. Em textos autobiográficos, ela se revela como uma das tantas personagens femininas às quais deu voz, sempre independentes e a quem a inadequação é um sentimento intrínseco. E esse constante deslocamento faz com que Fernanda seja capaz de observar o feminino e o masculino em todas as suas potencialidades. É daí que surge o Pós-F, pós-feminismo e pós-Fernanda, um relato sincero sobre uma vida livre de estigmas calcada na sobrevivência definitiva do amor, no respeito inquestionável ao outro e na sustentação do próprio desejo. No livro, que é ilustrado com desenhos da autora, Fernanda oferece sua visão de mundo na tentativa de superar polarizações e construir algo maior, em que caibam todos os gêneros.

 

Histórias em Quadrinhos

Graphic MSP” – Jeremias: Pele | Autor(a): Rafael Calça, Jefferson Costa | Editora(s): Panini, Mauricio de Sousa

Sinopse: Jeremias é um dos melhores alunos da classe. Tem vários amigos e uma rotina muito feliz ao lado dos pais. Até o dia em que ele encara o preconceito por causa da cor da sua pele.

 

 

Infantil

 “A Avó Amarela” | Autor(a): Júlia Medeiros, Elisa Carareto | Editora(s): ÔZé Editora

Sinopse: Este livro não é sobre a Avó Azul (embora ela também dormisse sem boca) Ele também não é sobre a sua avó (porque eu nem sei qual é a cor dela) Ele é sobre a minha Avó Amarela (de quem, às vezes, fico roxa de saudade).

 

 

Juvenil

“Histórias guardadas pelo rio” | Autor(a): Lúcia Hiratsuka | Editora(s): Edições SM

Sinopse: Por mais que tente, Pedro não consegue pescar histórias no rio. E essa é uma prática comum em sua cidade: dos pescadores que as pescam e as negociam, aos moradores de variadas idades que as recolhem das águas e depois as trocam, as presenteiam, as colecionam, bordam-nas linha por linha… Inconformado com o fato de não conseguir pescá-las, o jovem empreenderá uma busca sobre o segredo dessa arte de pesca, cuja resposta está guardada nas águas do rio.

 

 

Poesia

 “Nuvens” | Autor(a): Hilda Machado | Editora(s): Editora 34

Sinopse: Quantos poetas passam pela vida sem jamais publicar um livro? Quantos poemas escritos nunca chegam aos leitores?

Hilda Machado, pesquisadora e cineasta nascida no Rio de Janeiro em 1951 e falecida em 2007, foi professora na Universidade Federal Fluminense, com passagens por universidades estrangeiras, e diretora premiada em festivais de cinema nacionais. Paralelamente, desenvolveu um trabalho poético de dicção muito pessoal, entre o melancólico e o autoirônico, de teor fortemente visual e que parece assumir a montagem cinematográfica como procedimento poético por excelência – “Discreta voyeuse/ o sofá combinando com o tom das exegeses/ a polidez dos móveis, avencas, decassílabos, filmes russos/ perífrases sobre paninhos de crochê/ e em vez de carne poemas no congelador”.

Em vida, Hilda Machado publicou apenas dois poemas. Deixou, porém, além de manuscritos esparsos, este nuvens, que ela mesma organizou e chegou a registrar na Biblioteca Nacional, claro sinal de que considerava publicá-lo um dia. É o que agora se realiza, graças à colaboração de Angela Machado, irmã da autora, e ao empenho do poeta Ricardo Domeneck, que assina o texto de apresentação do volume.

 

 

Romance

 “O pai da menina morta” | Autor(a): Tiago Ferro | Editora(s): Todavia

Sinopse: Estreia de uma das mais novas e marcantes vozes da literatura brasileira, este é um romance comovente e aterrador. O que acontece quando uma menina de oito anos, inteligente e amorosa, morre subitamente? O romance de Tiago Ferro tenta compreender os ecos dessa devastação na vida do pai. Gestado a partir de uma tragédia vivenciada pelo autor em 2016, o livro não se restringe ao inventário doloroso dessa perda indizível, mas discute temas como memória, sexualidade, humor, confissão e fabulação. Um livro comovente e aterrador.

 

E aí? Já leu algum? Eu já decidi: conhecerei “O pai da menina morta”

 


JÁ CONHECE OS MEUS LIVROS? 

 

 

 

 

 

 

 

CLIQUE AQUI E ADQUIRA JÁ O SEU

VIVAS AO FOLCLORE BRASILEIRO

 

Você está cansado de ver os seres do folclore brasileiro representados de forma infantil?

 

Se a sua resposta for sim, talvez você deva conhecer os meus livros.

 

Curupira – A Árvore da Vida

Curupira e Taiguara cresceram juntos, no seio da aldeia Arapuã. Agora, no entanto, um acidente colocou a vida de um deles em perigo e a única esperança é a Árvore da Vida. A situação se complica ainda mais com o surgimento dos perigos da natureza selvagem e quando um espírito antigo, tomado pelo desejo de vingança, surge em meio à floresta. Lutando pela vida, os amigos iniciarão uma jornada que mudará suas vidas para sempre, buscando proteger a floresta e desvendar os segredos do Eldorado.

 

Saci – O menino e a lenda

Samuel cresceu nas ruas e encontrou na capoeira uma nova forma de ver o mundo. Entretanto, no dia de seu batismo, graças as ações precipitadas de um homem, a Baía de Todos os Ventos foi beijada pela magia e pelo mal que emana do Eldorado. O garoto, então, precisará superar grandes dificuldades para manter seus amigos a salvo, enfrentando seus medos e sangrentas batalhas na roda de capoeira.

 

Conto Fantásticos do Folclore Brasileiro

Contos Fantásticos é a coletânea de contos que dá vida aos personagens do folclore brasileiro de uma maneira nunca antes vista. O Saci-Pererê encontra-se cativo e lutará com todas as suas forças para conseguir sua carapuça de volta, após ser sequestrado por um ser de pura maldade; a Cuca segue atrás de uma menina desobediente, mas não faz ideia de quem ela é filha; alguém se apossou das oferendas do Caipora e ele está furioso; Iara busca uma nova vida no mar, cantando em um luxuoso navio; um Caçador deseja exterminar todos os seres mágicos e o primeiro da lista é Jurupari; um menino tagarela envolve-se com uma misteriosa criatura e isso faz dele um novo mito brasileiro. Surpreendente e cativante, Contos Fantásticos é também uma porta de entrada para o rico universo criado por Junior Salvador.

 

 

Quando a lenda ganha vida

Muito do que conhecemos sobre o nosso folclore é aquilo que aprendemos nas escolas. Mas se soubéssemos a verdade dessas histórias antigamente, criança alguma dormiria à noite e muitas delas poderiam ter sua infância destruída… Nem tudo é terror, nem tudo é fantasia. Aliás, você pode nunca ter visto, mas isto não significa que não seja real. Com toda essa riqueza que temos, a antologia Quando a Lenda Ganha Vida reúne quinze autores nacionais que voltaram seus olhos para a tradição e a cultura do nosso povo.

 

E aí, gostou?

 

Se sim, CLIQUE AQUI E CONHEÇA O MEU TRABALHO !

100 livros brasileiros para ler antes de morrer

O post sobre 100 livros para ler antes de morrer fez bastante sucesso e, por isso, resolvi, mais uma vez, buscar auxílio com a Revista Bravo e trazer agora uma nova lista.

 

Desta vez teremos os 100 livros mais influente da literatura brasileira.

 

Listas são sempre complicadas  e é possível que uma ou outra grande obra acabe ficando de fora.

 

No entanto, é certo que cada uma das obras abaixo representa a qualidade dos nossos escritores e nos faz perceber a importância de valorizarmos também as obras tupiniquins.

 

Ao contrário do que fiz na lista dos 100 livros para ler antes de morrer da literatura mundial, vou deixar de anotar os livros que já li.

 

Isso porque pretendo retomar a lista do zero, pois li muitos como estudante e por vezes como obrigação, o que pode ter prejudicado o aproveitamento da leitura.

 

Voltarei a lê-los e atualizarei o post conforme isso for ocorrendo.

 

Pois agora, a leitura não terão outro fim, senão o de deleitar-me.

 

Vamos à lista então!

 

 

1. Bagagem (Adélia Prado)

2. O Cortiço (Aluísio Azevedo)

3. Lira dos Vinte Anos (Álvares de Azevedo)

4. Noite na Taverna (Álvares de Azevedo)

5. Quarup (Antonio Callado)

6. Brás, Bexiga e Barra Funda (Antonio de Alcântara Machado)

7. Romance d’A Pedra do Reino (Ariano Suassuna)

8. Viva Vaia (Augusto de Campos)

9. Eu (Augusto dos Anjos)

10. Ópera dos Mortos (Autran Dourado)

11. O Uruguai (Basílio da Gama)

12. O Tronco (Bernardo Elis)

13. A Escrava Isaura (Bernardo Guimarães)

14. Morangos Mofados (Caio Fernando Abreu)

15. A Rosa do Povo (Carlos Drummond de Andrade)

16. Claro Enigma (Carlos Drummond de Andrade)

17. Os Escravos (Castro Alves)

18. Espumas Flutuantes (Castro Alves)

19. Romanceiro da Inconfidência (Cecília Meireles)

20. Mar Absoluto (Cecília Meireles)

21. A Paixão Segundo G.H. (Clarice Lispector)

22. Laços de Família (Clarice Lispector)

23. Broqueis (Cruz e Souza)

24. O Vampiro de Curitiba (Dalton Trevisan)

25. O Pagador de Promessas (Dias Gomes)

26. Os Ratos (Dyonélio Machado)

27. O Tempo e o Vento (Érico Veríssimo)

28. Os Sertões (Euclides da Cunha)

29. O que é Isso, Companheiro? (Fernando Gabeira)

30. O Encontro Marcado (Fernando Sabino)

31. Poema Sujo (Ferreira Gullar)

32. I-Juca Pirama (Gonçalves Dias)

33. Canaã (Graça Aranha)

34. Vidas Secas (Graciliano Ramos)

35. São Bernardo (Graciliano Ramos)

36. Obra Poética (Gregório de Matos)

37. O Grande Sertão: Veredas (Guimarães Rosa)

38. Sagarana (Guimarães Rosa)

39. Galáxias (Haroldo de Campos)

40. A Obscena Senhora D (Hilda Hist)

41. Zero (Ignácio de Loyola Brandão)

42. Malagueta, Perus e Bacanaço (João Antônio)

43. Morte e Vida Severina (João Cabral de Melo Neto)

44. A Alma Encantadora das Ruas (João do Rio)

45. Harmada (João Gilberto)

46. Contos Gauchescos (João Simões Lopes Neto)

47. Viva o Povo Brasileiro (João Ubaldo Ribeiro)

48. A Moreninha (Joaquim Manuel de Macedo)

49. Gabriela, Cravo e Canela (Jorge Amado)

50. Terras do Sem Fim (Jorge Amado)

51. Invenção de Orfeu (Jorge de Lima)

52. O Coronel e o Lobisomem (José Cândido de Carvalho)

53. O Guarani (José de Alencar)

54. Lucíola (José de Alencar)

55. Os Cavalinhos de Platiplanto (J. J. Veiga)

56. Fogo Morto (José Lins do Rego)

57. Triste Fim de Policarpo Quaresma (Lima Barreto

58. Crônica da Casa Assassinada (Lúcio Cardoso)

59. O Analista de Bagé (Luis Fernando Veríssimo)

60. Tremor de Terra (Luiz Vilela)

61. As Meninas (Lygia Fagundes Telles)

62. Seminário dos Ratos (Lygia Fagundes Telles)

63. Memórias Póstumas de Brás Cubas (Machado de Assis)

64. Dom Casmurro (Machado de Assis)

65. Memórias de um Sargento de Milícias (Manuel Antônio de Almeida)

66. Libertinagem (Manuel Bandeira)

67. Estrela da Manhã (Manuel Bandeira)

68. Galvez, Imperador do Acre (Márcio Souza)

69. Macunaíma (Mário de Andrade)

70. Paulicéia Desvairada (Mário de Andrade)

71. O Homem e Sua Hora (Mário Faustino)

72. Nova Antologia Poética (Mário Quintana)

73. A Estrela Sobe (Marques Rebelo)

74. Juca Mulato (Menotti Del Picchia)

75. O Sítio do Pica-pau Amarelo (Monteiro Lobato)

76. As Metamorfoses (Murilo Mendes)

77. O Ex-mágico (Murilo Rubião)

78. Vestido de Noiva (Nelson Rodrigues)

79. A Vida Como Ela É (Nelson Rodrigues)

80. Poesias (Olavo Bilac)

81. Avalovara (Osman Lins)

82. Serafim Ponte Grande (Oswald de Andrade)

83. Memórias Sentimentais de João Miramar (Oswald de Andrade)

84. O Braço Direito (Otto Lara Resende)

85. Sermões (Padre Antônio Vieira)

86. Catatau (Paulo Leminski)

87. Baú de Ossos (Pedro Nava)

88. Navalha de Carne (Plínio Marcos)

89. O Quinze (Rachel de Queiroz)

90. Lavoura Arcaica (Raduan Nassar)

91. Um Copo de Cólera (Raduan Nassar)

92. O Ateneu (Raul Pompéia)

93. 200 Crônicas Escolhidas (Rubem Braga)

94. A Coleira do Cão (Rubem Fonseca)

95. A Senhorita Simpson (Sérgio Sant’Anna)

96. Febeapá (Stanislaw Ponte Preta)

97. Marília de Dirceu (Tomás Antônio Gonzaga)

98. Cartas Chilenas (Tomás Antônio Gonzaga)

99. Nova Antologia Poética (Vinícius de Moraes)

100. Inocência (Visconde de Taunay)

 

E aí? O que achou?

 

Discorda de alguma das obras? Acha que outra deveria ser incluída?

 

Eu senti a ausência de Millôr.

 


JÁ CONHECE OS MEUS LIVROS

 

 

 

 

 

 

 

 

CLIQUE AQUI E CONHEÇA O MEU TRABALHO

100 LIVROS PARA LER ANTES DE MORRER

Circula há algum tempo pela rede uma lista com os 100 livros mais influentes da literatura mundial, idealizada pela revista Bravo, no longínquo ano de 2006.

Tive acesso à lista há alguns anos e, acredite, decidi que leria todos eles.

Entretanto, o prazo para cumprimento da meta é longo: A vida toda.

Abaixo segue a lista e, em vermelho, aquelas obras que já tive o prazer de ler.

 

 

1. Ilíada, de Homero
2. Odisseia, de Homero
3. Hamlet, de William Shakespeare
4. O Engenhoso Fidalgo Dom Quixote de la Mancha, de Miguel de Cervantes
5. A Divina Comédia, de Dante Alighieri
6. Em Busca do Tempo Perdido, de Marcel Proust
7. Ulisses, de James Joyce
8. Guerra e Paz, de Leon Tosltói
9. Crime e Castigo, de Fiódor Dostoiévski
10. Os Ensaios, de Michel de Montaigne
11. Édipo Rei, de Sófocles
12. Otelo, de William Shakespeare
13. Madame Bovary, de Gustave Flaubert
14. Fausto, de Johann Wolfgang von Goethe
15. O Processo, de Franz Kafka
16. Doutor Fausto, de Thomas Mann
17. As Flores do Mal, de Charles Baudelaire
18. O Som e a Fúria, de William Faulkner
19. A Terra Desolada, de T. S. Eliot
20. Teogonia, de Hesíodo
21. Metamorfoses, de Ovídio
22. O Vermelho e o Negro, de Stendhal
23. O Grande Gatsby, de Francis Scott Fitzgerald
24. Uma Temporada no Inferno, de Arthur Rimbaud
25. Os Miseráveis, de Victor Hugo
26. O Estrangeiro, de Albert Camus
27. Medeia, de Eurípides
28. Eneida, de Virgílio
29. Noite de Reis, de William Shakespeare
30. Adeus às Armas, de Ernest Hemingway
31. O Coração das Trevas, de Joseph Conrad
32. Admirável Mundo Novo, de Aldous Huxley
33. Mrs. Dalloway, de Virginia Woolf
34. Moby Dick, de Herman Melville
35. Histórias Extraordinárias, de Edgar Allan Poe
36. A Comédia Humana, de Honoré de Balzac
37. Grandes Esperanças, de Charles Dickens
38. O Homem sem Qualidades, de Robert Musil
39. As viagens de Gulliver, de Jonathan Swift
40. Finnegans Wake, de James Joyce
41. Os Lusíadas, de Luís de Camões
42. Os Três Mosqueteiros, de Alexandre Dumas
43. Retrato de uma Senhora, de Henry James
44. Decamerão, de Giovanni Boccaccio
45. Esperando Godot, de Samuel Beckett
46. 1984, de George Orwell
47. A Vida de Galileu, de Bertolt Brecht
48. Os Cantos de Maldoror, de Lautréamont
49. A Tarde de um Fauno, de Stéphane Mallarmé
50. Lolita, de Vladimir Nabokov
51. Tartufo, de Molière
52. As Três Irmãs, de Anton Tchekhov
53. O Livro das Mil e Uma Noites
54. O Burlador de Sevilha, de Tirso de Molina
55. Mensagem, de Fernando Pessoa
56. Paraíso Perdido, de John Milton
57. Robinson Crusoé, de Daniel Defoe
58. Os Moedeiros Falsos, de André Gide
59. Memórias Póstumas de Brás Cubas, de Machado de Assis
60. O Retrato de Dorian Gray, de Oscar Wilde
61. Seis Personagens à Procura de um Autor, de Luigi Pirandello
62. As Aventuras de Alice no País das Maravilhas, de Lewis Carroll
63. A Náusea, de Jean-Paul Sartre
64. A Consciência de Zeno, de Italo Svevo
65. Longa Jornada Noite Adentro, de Eugene Gladstone O’Neill
66. A Condição Humana, de André Malraux
67. Os Cantos, de Ezra Pund
68. Canções da Inocência-Canções da Experiência, de William Blake
69. Um Bonde Chamado Desejo, de Tennessee Williams
70. Ficções, de Jorge Luis Borges
71. O Rinoceronte, de Eugène Ionesco
72. A Morte de Virgílio, de Hermann Broch
73. Folhas de Relva, de Walt Whitman
74. O Deseros dos Tártaros, de Dino Buzzati
75. Cem Anos de Solidão, de Gabriel García Márquez
76. Viagem ao Fim da Noite, de Louis-Ferdinand Céline
77. A Ilustre Casa de Ramires, de Eça de Queirós
78. O Jogo da Amarelinha, de Julio Cortázar
79. As Vinhas da Ira, de John Steinbeck
80. Memórias de Adriano, de Marguerite Yourcenar
81. O Apanhador no Campo de Centeio, de J. D. Salinger
82. As Aventuras de Huckleberry Finn, de Mark Twain
83. Contos – Hans Christian Andersen
84. O Leopardo, de Tomasi di Lampedusa
85. A Vida e as Opiniões do Cavalheiro Tristram Shandy, de Laurence Sterne
86. Uma Passagem para a Índia, de Edward Morgan Forster
87. Orgulho e Preconceito, de Jane Austen
88. Trópico de Câncer, de Henry Miller
89. Pais e Filhos, de Ivan Turguêniev
90. O Náufrago, de Thomas Bernhard
91. A Epopeia de Gilgamesh
92. O Mahabharata
93. As Cidades Invisíveis, de Italo Calvino
94. Oh The Road, de Jack Kerouac
95. O Lobo da Estepe, de Herman Hesse
96. O Complexo de Portnoy, de Philip Roth
97. Reparação, de Ian McEwan
98. Desonra, de J. M. Coetzee
99. As Irmãs Makioka, de Junichiro Tanizaki
100. Pedro Páramo, de Juan Rulfo

 

E aí? Concorda com a lista? Já leu algum deles?

Que tal juntar-se a mim nessa aventura? O prazo é longo e a viagem é maravilhosa.

 


Já conhece os meus livros? 

Clique Aqui e conheça o meu trabalho.